domingo, novembro 13, 2005

Elo


Amor, querido amor
Tantos anos passados
Tantos que nossas faces já mudaram

Tantas noites passamos juntos
Carícias e afagos
Tantos beijos já trocados

Amor, querido amor
Tantos filhos já gerados
Tantas alegrias compartilhadas...

Tantas pedras encontradas
Tantas angústias divididas
E lágrimas derramadas

Amor, querido amor
Já não somos mais amantes
Daqueles que o fogo sentem na espinha

Tantos momentos juntos
Fizeram-nos Irmãos inseparáveis
Almas unidas
O melhor Amigo que tantos procuram ter

Somos um elo para todo o sempre
E sabemos nós, que isso é Amor
O Amor que construímos


Será que ainda existem amores a durar uma vida inteira?
No tempo de meus Pais, existia. Eles foram o casal de velhinhos mais bonito que conheci.

3 comentários:

Å®t_Øf_£övë disse...

Lis,
Muito bonita esta homenagem que fazes aqui aos teus Pais.
Realmente eles foram o exemplo de que é possivel existir amor por uma vida inteira.
Quanto à tua pergunta, infelizmente parece-me que cada vez mais os amores de uma vida inteira são as exepções que confirmam a regra.
Beijinhos.

Dulcineia disse...

Bom Dia.Homenagens como esta dão uma lufada de ar fresco áqueles que já não acreditam no Amor por inteiro.Um pedaço comovente para começar o meu domingo.Fica bem,Lis.

Visible Silence disse...

Querida amiga,
Só podes ter sido feliz por teres crescido com duas pessoas que assim se amavam... incondicionalmente, verdadeiramente... que utilizaram o seu amor como um escudo protector e unidas venceram os obstáculos e rasteiras que a vida lhes apresentou...
Amar é isso mesmo lutar lado a lado... dia-a-dia... e não desistir perante os obstáculos ou quando a vida já não parece tão cor-de-rosa e não nos corre como planeamos.
Tens razões para te sentires orgulhosa... bem merecida esta homenagem...