domingo, janeiro 29, 2006

Momentos

Há momentos na nossa vida em que o nosso olhar se perde no vazio, à procura do horizonte, do infinito...
Momentos calados, discretos, alegres ou tristes...
Discretos, tirados do fundo do coração, e transportados para o fundo dos nossos pensamentos....
Momentos escondidos que não se querem contar e não se querem pensar...
Momentos que gostariamos de viver mil vezes...
Mas quando todos esses momentos forem passados, ficarão para sempre nestes meus versos lembrados.

Quero da tua boca...

Quero da tua boca...

As palavras que preciso ouvir
O calor que preciso sentir

Devora-me com os teus beijos
Quero a tua boca na minha
Os teus lábios nos meus
A tua língua na minha... dancemos os nossos desejos!
Quero tirar da tua boca o teu sabor e fazer dele o meu paladar!

Quero a tua boca junto ao meu ouvido,
Sussurra em voz rouca que me queres, que me sonhas, que sou tua!

Quero a tua boca no meu pescoço,
Deixa-me sentir a tua respiração ofegante de paixão!

Quero a tua boca nas minhas costas,
Percorre cada poro da minha pele na descoberta do meu desejo!

Possui-me com a tua boca e busca a minha alma!

Faz-me esquecer de mim…
Preenche o meu vazio…
Mostra-me a tua vontade de seres meu…
Faz-me sentir…
Faz-me gritar…

Deixa-me abraçar o teu cheiro…
Quero da tua boca saciar esta sede que tenho de ti!



Um pedaço da minha alma, um pedaço dos meus desejos… que guardo, aqui, no baú de memórias do “Pedaços de Nós”.



Fotografias escolhidas e seleciondadas por Å®t_Øf_£övë

sábado, janeiro 28, 2006

"Pedaço" do meu sonho

Esta semana sonhei que tinha uma cama onde cabiam todas as pessoas com quem já dormi... Gente encavalitada, mais cabeça que corpo, e eu a braços com tudo aquilo.
E cabem todos? - perguntam vocês
Cabem pois! A cama deve ter sido mandada fazer. Há aqui cada encomenda... felizmente os pés não se vêem...
Quando os corpos se precipitam para o abismo que é o prazer, muitas vezes as meias ficam esquecidas... nos pés. Um homem com meias de má qualidade é como uma mulher com cuecas lassas. A evitar, porque acidentes e flirts acontecem a toda a hora. E há muitos flirts que se revelam um desastre por causa de umas cuecas disformes ou de um par de meias.
Quando acordei do sonho, procurei explicações para a insistência nas meias. E só horas depois percebi que muitos dos que ali estavam me tinham dado com os pés. Ou será que é a cama que é o meu calcanhar de aquiles?

sexta-feira, janeiro 27, 2006

Um dia de cada vez...

Ouvi isto algures e realmente fez-me pensar que a vida é mesmo assim...

Mais um dia que se foi
Às vezes a vida doí
É como se diz por aí,
Isto não mata mas moi...
Apetece-me gritar
Preciso libertar
A má vibração
E tenho a sensação
Que me está a consumir
Sinto um aperto no peito
Quero falar mas não deito
O que sinto cá para fora
E começo a entrar em stress
Não posso desistir
Isto é mesmo assim
Vamos até ao fim
Até onde aguentar...
Levo um dia de cada vez
E levo a vida sem me arrepender...
Aproveito o que de bom encontro
O que é mau aceito
E tento esquecer...
E se algum dia eu cair
Eu não me vou deixar
Eu vou-me levantar
Porque eu fui feito para vencer
E mesmo quando penso em fugir da realidade
Vejo que não vale a pena
Porque isso não me tira a sensação
De estar perdido
E sem saber para onde vou...
A vida é mesmo assim
E faz sentido assim
Um momento feliz
No outro já estás a chorar
Os maus momentos trazem
sempre algo de bom
Só tens de descobrir um dia de cada vez!!!

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Globalização

Pergunta: Qual é a mais correta definição de Globalização?
Resposta: Morte da Princesa Diana.
Pergunta: Porquê?
Resposta: Uma princesa inglesa com um namorado egípcio, tem um acidente de carro dentro de um túnel francês, num carro alemão com motor holandês ,conduzido por um belga, bêbado de whisky escocês, que era seguido por paparazzis italianos, em motos japonesas. A princesa foi tratada por um médico americano, que usou medicamentos brasileiros. E isto é enviado para ti por um português, que usa tecnologia americana (Bill Gates) e, provavelmente, tu estás a ler isto num computador genérico que usa chips feitos em Taiwan, e num monitor coreano montado por trabalhadores de Bangladesh, numa fábrica de Singapura, transportado em caminhões conduzidos por indianos, roubados por indonésios, descarregados por pescadores sicilianos, re-empacotados por mexicanos e, finalmente, que te foi vendido por judeus, através de uma conexão paraguaia. Isto é, caros amigos, GLOBALIZAÇÃO!!!

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Quem te disse ao ouvido "O Meu Segredo"?

"O Meu Segredo"
Quem te disse ao ouvido o meu segredo?
Que nem os Deuses sabiam
Aquele Amor cheio de crença que sinto
Que é Verdadeiro só se é segredado?
Quem to disse tão cedo?

Não fui eu, que te não ousei dizê-lo
Não, foi um outro, que te falou
Desse Amor em mim presente,
Mas que não passa do meu ventre
Que anseio e que desminto ser ardente.

O Amor por mim sentido
Nunca será esquecido
Porém não o gritarei a ninguém
E sinto que por alguém fui traída.

Mas continuo a Amar-te
Aqui e Agora
Ultrapasso tudo e todos
Pois para mim, no Amor não há barreiras!

Não deixem fugir o Amor Verdadeiro, nem que outras forças humanas vos tentem demover disso. Agarrem o vosso Amor, aquele que sempre amaram e vivam com ele, alimentem-se dele, amadureçam com ele e morram com a certeza que lutaram por ele.

terça-feira, janeiro 24, 2006

Ajuda


Alguém entende

de máquinas digitais

e ajuda-me a escolher

qual o melhor modelo,

estou tão dividido

que não consigo escolher.

...LoL...

sábado, janeiro 21, 2006

O melhor comentador do mundo...

O melhor comentador do mundo – tanto quanto se pode saber – chama-se anónimo. Tão anónimo que nem ele próprio sabe quem é. Só sabe que é o anónimo perfeito. Umas vezes procura usar com decência as palavras, outras não... Mas nada disto o preocupa minimamente, pensa sem quaisquer afectos. Escreve sem pestanejar.
A caixa de comentários abre os blogues, mas potencia a baixeza e obriga por vezes a ter que se fechar aos prevaricadores a porta de liberdade de expressão que se abriu a todos.
Os blogues continuam a ser um espaço selvagem, quase sem regras, ou melhor, escapam à maior parte das regras e constrangimentos que estruturam o espaço público. Isto é basicamente positivo, sendo em consequência negativo adoptar como princípio de conduta, a ideia vulgar de que muita gente não merece, por não saber usá-la, a liberdade que lhe dão.
Dir-se-ia que o bloguista dispõe de algum poder sobre os outros, mostrando-se generoso - se abre caixa de comentários - ou revelando-se arrogante - se a fecha ou nunca a abriu.
Da parte do comentador anónimo, o desejo de comentário é o desejo de se exprimir facilmente. O blogue alimenta essa ilusão de que qualquer um pode escrever, e que qualquer um tem coisas para dizer. Como nem todos alcançam a forma da escrita, como nem todos chegam à iniciativa de por si próprios, abrirem o seu blogue, como nem todos sabem escrever - a caixa de comentários permite-lhes escrever sem pudor nem gramática. Permite-lhes dizer de facto qualquer coisa. Permite-lhes exprimirem-se, sempre à custa, e sobre os outros.

sexta-feira, janeiro 20, 2006

Deixa aflorar a tua doçura

Às vezes, pergunto-me porque é tão difícil ser transparente...
Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros. Mas ser transparente é muito mais do que isso. É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que sentimos...
Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as máscaras, baixar as armas, destruir os imensos e grossos muros que insistimos tanto em nos empenhar para levantar...
Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche, transborde.
Mas infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco.
Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana.
Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam do mais profundo de nosso ser...
Preferimos perder-nos numa busca insana por respostas imediatas a simplesmente nos entregar e admitir que não sabemos, que temos medo!!!
Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos, preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção.
E assim, vamo-nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos...
Não porque sejamos pessoas mentirosas, mas apenas porque nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, o nosso amor mais intenso e não-contaminado...
Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro faz-nos perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar... doçura, compaixão... a compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos baixinho antes de dormir, num silêncio que nos remete a uma saudade desesperada de nós mesmos... daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos.
Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer: "tu estás a magoar-me... podes parar, por favor!".
Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro.
Quando, na verdade, se agíssemos com o coração, poderíamos evitar tanta dor...
Sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura.
Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencíveis...
Que consigamos não tentar controlar tanto, responder tanto, competir tanto... Que consigamos docemente viver... sentir... amar...
E que o nosso viver seja todo coração, muito mais sentimento, inundado de um amor transparente, apesar de todo o risco que isso possa significar...

Rosana Braga
Jornalista, escritora, coordenadora de projetos editoriais e consultora em comportamento humano.

quarta-feira, janeiro 18, 2006

Quem seria eu...

Eu já não me lembro
De como eu era antes de te conhecer
Parece que antes de ti não existia...
Não me recordo de nada do que eu passei antes ti,
porque antes de ti não vivi...

Quem seria eu
Sem o teu olhar
Quem seria eu
Sem te poder beijar
Não seria ninguém
Se não fosses tu...
Quem seria eu
Sem o teu amor
Sem ti o meu mundo não tinha cor
Diz-me quem seria eu
Se não fosses tu...

Tu sabes bem
Agora que não estás aqui
Que falta uma parte de mim
Não consigo respirar
E quando me vou deitar
Não consigo dormir
E tento imaginar
Se pensas em mim...

Posso imaginar
E ver-te sem tocar
Eu não sou ninguém
Se não estou contigo...

Sei aonde estás
E sei que fazes parte de mim
E tudo o que eu sou devo-te a ti
Nunca imaginei
Que iria sentir-me assim
Sinto falta de ti...

Quem seria eu???
Não seria ninguém
Se não fosses tu!!!!

terça-feira, janeiro 17, 2006

Em Reflexão

Encontro-me num momento, em que preciso de espaço para reflectir, estou em reflexão... após um tempo muito agitado com perdas e ganhos, lol, estou a meditar sobre o que quero fazer do ano em que faço 30 anos... estou em balanço.
Isto de fazer 30 anos dá-nos a volta à cabeça.

domingo, janeiro 15, 2006

Linda esta música... First Day of My Life

So I found the reason to stay alive
Try a little harder see the other side
Talking to myself, too many sleepless nights
Try to find a meaning to this stupid life

I don't want a simple thing
Sometimes i don't know who to be

Hey, what you're looking' for?
No one has the answer, they just want more
Hey who's gonna make it back?
This could be the first day of my life

So I found the reason to let it go
Tell you that I'm smiling' but it's too mean to grow
Will I find salvation in the arms of love?
Will it stop me searching?
Will it be enough?

I don't want your sympathy
Sometimes I don't know who to be

Hey, what you're looking' for?
No one has the answer, they just want more
Hey who's gonna make it back?
This could be the first day of my life

The first time I really feel alive
The first time to break the chain
The first the time to walk away from pain

Hey, what you're looking' for?
No one has the answer, they just want more
Hey who's gonna make it back?
This could be the first day of your life

Hey, what you're looking' for?
No one has the answer, they just want more (ooh, yeah)
Hey who's gonna shine a light?
This could be the first day of your life

PS: Quem a canta é Melanie C

terça-feira, janeiro 10, 2006

O meu "Pedaço" # 6

Quando estava contigo só pensava noutras coisas. Nomeadamente: fugir. Não podia estar ali a ouvir o que me estavas a dizer. Não sei discutir. Não acreditava na tua conversa. A tua única queixa era eu não estar lá quando tu querias.
"Faz tudo menos fugir" - dizias
E eu não podia... enquanto tu continuavas naquele pranto, e com aquela conversa... sem amor próprio.
Cada um tem a sua doença. A minha era não querer existir. Pensava que merecias melhor do que eu, que te ias fartar de mim, que me ias descobrir. E afinal, contrariamente a mim, a única coisa que eu tinha para descobrires, à parte do meu grande amor, era a minha queda por ti.

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Provavelmente a melhor de 2006...

Estava um menino a brincar com um balão, quando o mesmo caiu dentro da retrete.
Com nojo de o apanhar, o menino acabou por deixá-lo lá, e continuou a brincar.
Pouco depois, chega o pai, pronto para dar aquela cagada. Com o jornal nas mãos, não se apercebe do balão do filho, senta-se e, durante a leitura, vai descarregando.
Duas horas depois, o jornal lido do princípio ao fim, o homem levanta-se, vê a retrete cheia de merda e apanha um susto:
- Meu Deus! Como eu caguei! Quanta merda!
Atordoado, liga para o seu médico. Explicando a situação, o médico avisa que está a caminho para tratar do caso.
Chegando lá, o doutor é levado para ver o festival. E também se assusta.
- Cruzes! Mas a merda cobriu toda a retrete! Deve ter deixado o seu traseiro todo sujo!
- Sem piadas, por favor, doutor. Estou desesperado. O que será que eu tenho?
- Ainda não sei. Preciso examinar o cocó.
- O médico tira uma espátula da bolsa para examinar um pouco das fezes.
- Mas, assim que toca na dita, o balão estoura e voa merda para tudo o que é lado.
- Estupefacto, o médico olha para o homem, ambos recobertos de merda, e diz, conclusivo:
- Sinceramente, já vi muita coisa na vida, mas nunca tinha visto um peido com casca...

domingo, janeiro 08, 2006

"Aquilo que importa aprender, aprende-se de uma outra maneira,
que não por palavras".
Hino da Sexta-feira Santa

Que neste ano que agora se inicia todos saibamos aprender o essencial.
Feliz ano de 2006 para todos!

FELIZ 2006

Entrou um Novo Ano. Com ele podemos mudar nossos objectivos, nossos sonhos, nossos desejos, podemos até mudar de amores, mas nunca mudamos de amigos.
Bom Ano para todos os perticipantes deste pedaços de nós.

sábado, janeiro 07, 2006

S.T.C.P. Das Alminhas

Ao fim de 10 anos ou mais, não consigo precisar a data ao certo, consegui finalizar e dar por concluída uma tese filosófica… S.T.C.P. Das Alminhas!

S.T.C.P Das Alminhas foi uma tese de final de ano para a cadeira de filosofia, baseada em filosofias de Sócrates (mundos paralelos), Platão, em correntes comunistas e líricas de Kant, em breves aproximações ao Super-homem de Nietzsche

“Na realidade Nietzsche criticará essa busca da paz e justiça, junto com a resignação ao sofrimento como decadentes. A síntese de toda a crítica Nietzschiana à filosofia cristã está em O Anticristo.”

Em jeito de aparte eu sou o Anticristo – e retrato-me mais como o filho querido do Demo, do Belzebu, do Pai da “Puta”, já que como filho imortal só me revejo no Pai… sendo o pai demoníaco e divino (dentro da árvore genealógica da teologia encontramos Deus o seu supremo e dois filhos J.C e o Demo – eu não encaro o J.C como uma realidade apenas dois Irmãos desentendidos supremos e divinos que contrabalançam a existência equilibrada permitindo o tudo e o nada… mas sempre em busca da perfeição.

Em relação ao Super-Homem, pode-se dizer que em síntese, a sua característica principal era a Vontade de Potência (ou Domínio).
Copleston explica: “A vida é a Vontade de Domínio, e aqueles que são mais vivos, aqueles que são os melhores espécimes da raça humana são aqueles em quem é mais forte essa vontade de domínio. Os homens excepcionais da história – Napoleão Bonaparte, por exemplo - são as mais belas encarnações da Vontade de Domínio que tem aparecido até agora, mas serão ultrapassados pelo Super-Homem, em quem a Vontade de Domínio atingirá o seu ponto mais elevado. ‘Apenas onde há vida’, já dizia Nietzsche, ‘há vontade; não a vontade de viver, mas a vontade de domínio’. Nisso, havia um nítido choque com a filosofia cristã”.

A motivação de Nietzsche ao dizer que Deus está morto e o desejo pela destruição da consciência cristã, ou seja da maneira centrada em Deus de pensar. Seus símbolos para isto são a chama e o trovão. Somente rompendo com as normas idealistas um homem pode tornar-se um Super-Homem.
“O ponto de partida para a destruição é a igreja que é, de acordo com Nietzsche, o oposto exacto do que Jesus pregou. A razão para isto seria um processo iniciado pelo apóstolo Paulo, que causou uma transfiguração dos ensinamentos de Jesus, tornando-os uma doutrina de recompensa e castigo. Apesar disto não desaprovar a existência de Deus, essa linha de pensamento nihilista mostra que a crença em Deus é contrária aos valores de realidade e de vida Nietzsche”.

Se és um super-homem, não precisas de Deus.

Adolph Hitler certamente usou os ideais de um "super-homem" da teoria de Nietzsche para pseudo-criar os seus ideais Nazistas e espalhá-los, também utilizando as ideias de Otto von Bismark.

Juntamos agora Sócrates, Platão e Rorty

“Ao apontar o pragmatismo como amor pela humanidade, tolerância e a ausência do fanatismo, Rorty encontraria esses traços em Sócrates e Spinoza: cooperação social e beatitude paraticular. É verdade que Schopenhauer, Kierkegaard, Nietzsche e Heidegger não foram exemplos de homens tolerantes ou de bom relacionamento, mas para Rorty nunca se resolverá a obvia tensão entre o publico e o particular, e para mitigá-la é necessária uma negociação, ou “conversão” entre as duas esferas.”

É nesta negociação e nesta passagem de mundo que baseei a tese, utilizando os S.T.C.P – Sociedade de Transportes Colectivos do Porto – na passagem metafórica de mundo para mundo e numa forma minimalista resumo toda a tese:

Vivemos e morremos tantas vezes quantas as necessárias até chegar á perfeição!

Mas nunca me satisfez na plenitude o meu ideal de STCP das Alminhas porque nunca consegui encontrar resposta para a possibilidade da “morte” do Criador (Deus) …

Ontem num quadro a óleo onde nem sequer conhecido é o autor – e de uma panóplia encontrada de impressionismo, Simbolismo, Orfismo e Surrealismo – e fixado a laca! Encontrei a explicação e a resposta à peça que me faltava…

Tento descrever o quadro (mas hei-de conseguir a fotografia do mesmo):
Um ser gigante sem feição e branco de onde sai um braço que acaba numa extremidade de anjo (todas as figuras são bi-direccionais e bi-interpertáveis) – que se encontra a urinar para o nada… esse braço abraça um ser vermelho “demoníaco” que abraça o que eu denomino de humanidade – um abraço sexual – que por falta de dados concretos de denominação de sexualidade – pode estar numa posição sodómica ou de penetração vaginal – nunca encontrando a definição de macho/fêmea embora ambos existam. Mas o ser demoníaco também ele como todos os anteriores tem duas faces – voltadas para fora – e tanto eleva ao prazer como o nega. Até aqui tudo encaixa na perfeição perante a tese. A resposta é encontrada num simbolismo mais que definido e também ele a branco de um espermatozóide que ocupa o centro ascendente da pintura… em direcção a Deus. E mais digo o mesmo cospe numa atitude de negação e cagança perante o óbvio!

É aqui que encontro a resposta – Deus é eterno… mas também ele é mortal. Existe uma reencarnação cíclica é a limpeza em jeito de filtro…

quinta-feira, janeiro 05, 2006

O maravilhoso mundo dos blogues

Não é fácil manter um blogue.
Os blogues inicialmente surgiram com a finalidade única do autor escrever os seus devaneios num género de diário.
Com o passar do tempo, começaram a ser utilizados para se escrever sobre os mais diversos temas.
Se quisermos ler blogues sobre política, sabemos a quais nos dirigir, se quisermos ler blogues sobre suspeição de tudo e mais alguma coisa, sabemos onde os procurar, se quisermos ler blogues sobre corrupção no futebol sabemos onde ir procurar. Aquilo que nos move quando criamos um blogue, está directamente relacionado com aquilo que somos, com aquilo que são os nossos interesses e gostos pessoais.
A mim pessoalmente, dá-me gosto ler blogues de amigos, de pessoas minhas conhecidas, blogues sobre o amor, blogues de música, e blogues de humor. Tudo o resto pouco me interessa.
Gosto de ler blogues que me cativam pela sua escrita sem erros ortográficos ou gramaticais, aqueles onde posso ver fotografias fabulosas com a qualidade que é impossível ter num jornal ou mesmo numa revista.
O mundo dos blogues para mim não se fica por aqui. Tenho tido a oportunidade ao longo dos tempos de conhecer gente interessante que por outra via muito provavelmente não seria possível. Pessoas com educação e seriedade, que tal como eu utilizam os seus blogues para ali escreverem o que lhes vai na alma e partilharem as suas ideias com pessoas que na grande maioria das situações nem se conhece, o que provoca uma sensação de partilha inexplicável.
Há no entanto quem não entenda isto. Uns pensam de uma maneira, outros de outra e temos que respeitar.
E quando há encontros?
Maravilhoso. Servem essencialmente para primeiro que tudo, conhecer pessoalmente aquela pessoa que até comenta os nossos textos, fotos ou poesias e se torna um companheiro diário de outro ponto do país que por outra via era impossível conhecer.
Aqui trocam-se as nossas ideias pessoais e respeitam-se as ideias dos outros mesmo sendo diferentes. Os blogues permitem-nos trocar opiniões, debater profundamente sobre aquilo que achamos serem os nossos problemas, os problemas do país, ou da nossa região. Permitem-nos partilhar e levar mais longe fotografias das nossas terras e desta forma promovê-las, bem como permite-nos descobrir pessoas com elevados conhecimentos em diversas áreas e assim colher os frutos de outras sabedorias.
Há no maravilhoso mundo dos blogues mais do que podemos imaginar...

segunda-feira, janeiro 02, 2006


Sejam muito felizes em 2006!!!!!!!!!!!!
Que este ano traga muito e bom... Humor!