terça-feira, dezembro 20, 2005

Lembrem-se deles...















Abrimos os nossos presentes, rimos juntos, sentamo-nos à mesa para comer.
Mas, para lá da janela – lá fora na escuridão – estão aqueles para quem o Natal não traz qualquer repouso.
Para esses é apenas mais um dia de solidão, medo, prisão, fome, doença, desamparo, fadiga e guerra.
Para muitos, mesmo um humilde quarto seria um esplêndido sítio – seco, quente, seguro e suficientemente grande para abrigar uma família.
Para muitos, as nossas despensas cheias, a nossa água limpa, a nossa saúde, a nossa paz de espírito, as nossas famílias unidas, são coisas com que eles podem apenas sonhar.
Alguns conheceram em tempos o nosso mundo – e perderam-no ou viram-no ser-lhes tirado.
Alguns nunca conheceram nada mais senão medo, pobreza e perda.
Está certo que demonstremos o nosso amor uns pelos outros no Natal – que partilhemos uma refeição, que troquemos presentes, que sejamos felizes.
Mas desejaria que nós pudéssemos escutar as vozes de todos aqueles para lá das nossas janelas.
Se pelo menos agora, no Natal, pudéssemos trazê-los para dentro das nossas casas, partilhar os nossos pensamentos e ouvir as suas histórias individuais!
Porque eles não são estatística, problemas internacionais, fonte de despesas estatais.
Eles são indivíduos, cada um complexo e único.
Valiosos. Tal como nós.


O QUE É QUE VOS DESEJO?

A família reunida,
Todas as disputas postas de lado,
Comida na mesa,
A campainha a tocar,
Caras amigas,
Embrulhos a amontoar-se,
Cartões de todos aqueles de quem se gosta,
Nada esquecido,
Risos, alguma dose de patetice,
Abraços, beijos,
Paz de espírito,
Liberdade, amizade, amor,
Recordações felizes.
Desejo-vos de todo o meu coração que
O vosso Natal seja tudo aquilo que
Um Natal deveria ser
Um pouco de calor no rigor do Inverno,
Uma luz na escuridão.
Feliz Natal!

3 comentários:

Å®t_Øf_£övë disse...

Nefertiti,
Como sempre gostei muito deste teu texto.
Recordas-nos as minorias, que devem ser tidas em conta não só nesta época do ano como em todos os outros dias.
Felizmente que ainda há, embora poucas, instituições que se preocupam com eles mais do que a maioria de nós.
Quanto ao meu maior desejo para este Natal, é que ele possa ser passado com paz de espírito, liberdade, amizade, e amor.
Beijinhos.

Shiazinha@pensar.ou.@iludir-se... :-)* disse...

BOM NATAL,EXCELENTE ANO 2006!..

Nefertiti: Mencionaste algo, que a Mim me toca particularmente.Costumo ir, todos os anos, depois da Ceia de Natal, oferecer alguns Doces e outras Iguarias a pessoas que se encontram pela Baixa. Vou desde a Rua de Cedofeita,no Porto,até à Batalha, passando por várias ruelas,com o Gorro de Pai Natal, e ouço as Histórias de Vida Mirabolantes e a Lágrima é sempre Inevitável. Mas são estas Histórias de Vida, muito diferentes das nossas, que nos enriquecem o "EU"...

Bjos e Bom Natal... :)*

Lis57 disse...

Bom Natal e que em 2006 realizes todos os teus sonhos