terça-feira, dezembro 12, 2006

Tempo

Tempo...
Ás vezes um amigo
Companheiro
Cúmplice...
...quando parece abrandar o seu próprio tempo
no tempo das coisas boas...
...quando faz o tempo de um bom momento
parecer um tempo sem hora para acabar...
...quando me dá tempo para fazer de um instante
uma eternidade no tempo...
Outras vezes inimigo
Inconstante
Assustador...
...quando se prolonga num tempo
que ninguem sabe a que tempo vai dar...
...quando me arrasta por um tempo
sem dizer quanto tempo tem para durar...
...quando me deixa perdida algum tempo
de um tempo onde gostaria de estar...
E que Tempo é este?
Amigo?
Perdido?
Nosso?
Ou apenas meu?

2 comentários:

Nefertiti disse...

Oh tempo, tempo...!

Tempo de ansiedade, tempo de paz
Tempo de dúvida, tempo de decisão
Tempo de lágrimas, tempo de sorrisos
Tempo de tempestade, tempo de acalmia
Tempo de angústia, tempo de dor
Tempo de desamor, tempo de amor
Tempo que vai, tempo que volta
Tempo que passa, tempo que fica
Tempo silêncio, tempo voz
Tempo enigma, tempo decifrado
Tempo de errar, tempo de acertar
Tempo esperado, tempo inesperado
Tempo perdido, tempo achado

Tempo...Tempo...Tempo...

Tempo que se fez passado
Tempo que se faz presente
Tempo que desejaria futuro
Tempo antes, agora e depois
Tempo sem começo, tempo sem fim

Tempo meu, tempo teu, tempo nosso
Tempo teu, que quero meu
Tempo meu, que não quererás seja teu
Tempo nosso, que nunca foi nosso

Tempo nada
Tempo de tudo que poderia ser tanto
Tempo que foi, tempo que é
Tempo que jamais poderá ser
Tempo de renúncia
Tempo de aceitação

Quanto haveria a dizer, Ana!
O tempo...
Questiono-me se não será, o tempo, a limitação do ser humano...?!
O tempo é o desconhecido, a incógnita...
A maior ou talvez a única batalha que verdadeiramente temos que travar na nossa existência...

O tempo... o inegável detentor da nossa felicidade...

A verdade é que o tempo, para mim, já foi uma obsessão...
Era o tempo que custava a passar...! Era o tempo que depressa passava...!
Hoje... dou tempo ao tempo...

Um beijo.

Å®t_Øf_£övë disse...

Ana,
Fiquei fascinado por estas tuas palavras sobre o Tempo, e pelo teu poder de síntese ao falares nele. Consegues fazer-te exprimir como ninguém, e fico rendido às coisas que escreves, aplaudindo-te baixinho...
Nós enquanto seres humanos somos muito estranhos. Há muito que tento chegar a uma conclusão sobre a força mais poderosa que podemos experimentar.
Por ser o mais antigo, e ser o mais respeitável, o Tempo lidera esta tabela.
O Tempo cura tudo, segundo dizem. O Tempo, apazigua tudo, e cola os cacos. O Tempo é o braço direito da Natureza e do Pai de tudo, acirra-nos o ódio, mas também nos purifica a alma.
E o Amor. Ah sim, o Amor. Apesar de ser mais jovem que o Tempo, apesar de ser mentiroso, o Amor ainda é a razão pela qual o Tempo existe. Para o provar, para o desmentir, para o fazer morrer e ressuscitar. O Tempo e o Amor têm uma relação que nunca será bem percebida, uma ligação cúmplice que aponta o caminho e o desnorteia a seguir. Todos nós, pequenos seres, similares na nossa insignificância, apenas podemos esperar ser bafejados por um e pelo outro... pelo Amor e pelo Tempo.

Beijinhos.