segunda-feira, abril 02, 2007

aldeia global

Existe no mundo um espaço de cor, imagem, palavra e sentimento.

Um espaço que não posso tocar, não consigo cheirar, não vejo, só sinto.

Um espaço onde uma multidão se move, se expõe, se comunica.

No mundo em que vivo existe um espaço de medos, pavores e saberes. De guerras e de paz, de amizades e… amores.

Espaço ilimitado, grandioso, de pequeninos espacinhos abertamente privados.

Sem me mover, saltito em cada um deles. Olho. Viajo. Desvendo. Medito.

Sem corpos, sem rostos, sem vozes, sem cheiros, sei que estão lá. Adivinho-os.

Reconheço-os quando me estendem a mão. Amparo-os no meu colo.

Sorriem no meu riso e nas lágrimas que escasseiam.

Falo-lhes ao ouvido palavras que não ouvem e escuto-os no silêncio da música que escolho.

Existe no mundo um espaço imenso onde todos cabemos num monitor. Guardo-o na caixinha preta que transporto enquanto vivo neste mundo.


Chamo-me Ana, Maria ou Joana. Devo ser morena, loira ou ruiva. Talvez seja professora, balconista ou agricultora. Criança, adolescente, adulta ou anciã.

Existe no mundo um espaço infinito, onde não temos corpo, não temos rosto, nem temos voz mas existimos, cada um de nós. Eu sei, porque o sinto quando o leio.


Existe no mundo um espaço onde escrevo…

Largo pedaços de mim...

for you…

and me.


1 comentário:

Å®t_Øf_£övë disse...

foryou,

Por ti e por eles... espero e desejo que escrevas neste espaço, e que partilhes pedaços de ti por muito, e muito tempo...
E não poderias começar de melhor forma, escrevendo sobre um tema tão complexo, e polémico, como só tu o saberias fazer, de uma forma quase poética.
A minha opinião é que a blogosfera é um local onde partilhamos opiniões, visões, frustrações, alegrias... onde escrevemos o que nos vai na alma, e é realmente muito complicada. Partilhamos tudo isto na esperança de que alguém nos leia... ou não...
Mas como em tudo na vida, estamos aqui porque esperamos receber algum tipo de feedback.
Muitas vezes a blogosfera, dá-nos a possibilidade de nos reinventarmos, de nos auto-descubrirmos, ou simplesmente de criarmos uma personalidade que não é a nossa.
A realidade virtual, é isso mesmo virtual...
Ninguém sabe que rosto, ou que história de vida está por detrás de cada nickname.
Eu diria que este imenso universo que é a blogosfera vai desde o anónimo diário virtual, passando pela reinvenção de personalidades, até à mais profunda mostra de egocentrismo.
Mundo complicado este.... o virtual... também...
Beijinhos.