segunda-feira, julho 23, 2007

A vida serve para foder, amar, e morrer...

Passamos a vida a tropeçar em desencontros, em chegar tarde de mais ao que queremos viver. Por isso é que vivo tudo o que me dá na real gana. Estes últimos anos foram prodigiosos, sinto que rejuvenesci... sim, porque o sexo renova.
A quantidade de flirts, noites com Harmony, e outras menos harmoniosas que passei, fazem-me saber bem o que quero... quero continuar a viver de uma forma despreconceituosa. A opinião dos outros sobre a minha vida é pouco relevante.
É bom saber que vou sempre a tempo de viver o que quero, porque o coração nunca se deve adiar.

2 comentários:

Å®t_Øf_£övë disse...

Adiar o amor?!
E adiar o amor, será que é adiar a vida?
Valerá a pena viver o amor na plenitude dos seus sentimentos, e das suas emoções?
Não se pode adiar o coração?
Hum... bem... eu digo que pode... algumas vezes até se deve... e outras talvez não...
A verdade é que há corações urgentes, e urgências da vida que matam os corações urgentes.
Mas também posso concordar contigo... talvez seja o amor que nos salva... afinal, o amor não deixa de ser uma luz... que muitas vezes pode ser uma crueldade adiar. A dificuldade talvez esteja em transpor a barreira cerebral da razão.
Beijinhos.

Pedro Arunca disse...

Fá-lo como Espanca: perdidamente. Como Gedeão:sonhando. Como Alegre: com as mãos. Como Eva: pecando. Quem não o faz que saia de cima.
Boas f****