quarta-feira, outubro 12, 2005

Dói

Dói ouvir uma verdade que nós sabemos que existe, mas não queremos admitir. Dói ver quem amamos e confiamos cair em contradição e, sem querer, deixar escapar uma verdade que a gente não queria ouvir, apesar de, no fundo, sempre ter sabido que era aquela a realidade.
Dói não saber até onde vai a verdade e onde começa a mentira.
Dói perder a confiança em alguém por uma frase ouvida num momento em que essa pessoa baixou a guarda e mostrou a realidade dos factos. Dói pensar que aquela paixão toda, declarada em todos os momentos, pode não passar de mentira...uma mentira que não tinha necessidade de existir.
Não havia necessidade de ir por esse caminho de fantasia e envolvimento... Não havia necessidade de criar tantas ilusões...tantas expectativas... Bastava viver intensamente cada momento que pudéssemos ter juntos, simplesmente com a emoção. Sem contos de fadas... sem mentiras desnecessárias... Bastava viver a realidade... uma realidade não tão linda nem tão romântica, mas que magoaria menos agora e não faria doer tanto.

3 comentários:

Å®t_Øf_£övë disse...

Carlinha,
A dor do amor é uma dor que não dói, melhor será dizer que corrói.
É uma dor que arrasa, e deixa o coração em brasa.
Às vezes chega a amargar, e espreme tanto o coração que este parece que chega ao ponto de ser esmagado.
Às vezes pensamos que seria melhor não AMAR.
Beijinhos

Visible Silence disse...

Querida Carlinha,
Nada justifica a mentira no amor... ninguém é obrigado a amar ou a amar alguém durante toda a vida...
O amor é liberdade... de querer estar, partilhar, de ir sem querer voltar...
O amor é confiança... que nada justifica ser traída...
Amar não é viver sem obstáculos em perfeita harmonia... é saber em conjunto ultrapassar as dificuldades... é uma construção diária... porque se quer... porque só assim nos sentimos felizes...
É a certeza de que nada nem ninguém , nem erros, nem mal entendidos... nos impedirá de estar ali e amar... só porque sim.
Todos erramos... somos humanos... mas é com amor que devemos assumir esse erro e... se de facto amamos nunca voltar a cometê-lo...
dizendo " eu amo-te"...
A liberdade no amor não pode significar falta de respeito, fazer o que queremos exigindo a quem está connosco um comportamento correcto...
Liberdade no amor... significa dizer "já não te amo... não te quero... não te desejo"... evitando assim a dôr de quem por liberdade nos ama incondicionalmente...
Amar é dizer eu compreendo teu erro... abraçar e voltar a acreditar nesse amor... porque lhe demos a liberdade de voar e ele escolheu ali ficar... bem encostado ao nosso peito... dizendo " quero ficar... eu amo-te"...
Adoro os teus textos...
Mil beijinhos

Porquê? disse...

Carlinha,
a verdade doi 5 minutos mas a mentira pode doer uma vida inteira.
Quando a mentira tem lugar numa relação, é porque essa não é uma verdadeira relação de amor. As pessoas são livres de amar e de deixar de amar, mas não há nada que justifique uma mentira... Eu não tolero a mentira, seja no amor, seja numa relação amizade. Já tive que lidar com situações de mentira e o resultado foi uma desilusão tão grande que gerou um "corte" definitivo.
Beijos