quarta-feira, outubro 19, 2005

Saudade

Hoje trago um pedaço de um texto do Miguel Esteves Cardoso

Saudade é uma palavra muito bonita. Lembro-me de me dizeres uma vez que só existia em português, que não havia palavra que a traduzisse em outra língua, e que por causa disso era tão difícil se definir o que é a saudade. Como é que se esquece alguém que se amou? Sim. Será possível? Será possível viver a vida de uma forma diferente e retirar da consciência uma porção significativa da juventude? Claro que não. Eu ainda me lembro de ti, eu ainda sonho contigo, coisa que nunca sonhava vir a acontecer quando te tinha comigo. Nesses tempos só tinha pesadelos, só tinha medo de te perder. E perdi. Ironia? Sim. Sonho contigo. Sonho o teu calor, sonho o teu corpo abraçando-me no escuro, sinto-te a respirar sem fôlego ao pé de mim, a soprar-me de leve no pescoço... Vejo-te tão perto e no entanto tão longe... Isto é saudade. Vejo-te triste na hora da partida, a chorar sentada no chão, com a dor toldada no teu rosto de Primavera, com o orgulho a impedir o pranto, com a esperança que o tempo parasse e que o passado fosse a eternidade...
Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa... Como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está? As pessoas têm de morrer, os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar. Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode-lhe ficar para sempre (...)

5 comentários:

Lis57 disse...

Será possivel viver sem sentir saudade???? Não é possivel.Todos nós sentimos saudade de alguém ou de algo.
Já alguém vos ensinou como esquecer? Sentimos saudades de quem nunca esquecemos.

Beijos e obrigada por este lindo texto

Å®t_Øf_£övë disse...

Carlinha,
Como é que se esquece alguém que se ama?
Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver?

É preciso aguentar... é preciso aceitar-se que se está doente. É preciso paciência.
O pior é que é dificil aguentar a dor... aguentar estar triste... aguentar estar sozinho. Procuram-se escapes e alternativas, mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguém antes de terminar de lembrá-lo. A saudade é uma dor que só pode passar depois de devidamente doída. É uma dor que é preciso primeiro aceitar.
Para esquecer é preciso deixar o coração ir de lembrança em lembrança, na esperança que ele se canse.
As pessoas nunca deveriam morrer, nem deixarem de se amar, nem separarem-se, nem esquecerem-se... mas morrem, deixam de se amar, separam-se e esquecem-se.
Mas o mais dificil de aceitar é que há lembranças e amores que necessitam do afastamento.
Mas como esquecer?
Como deixar acabar a dor?
É preciso paciência, é preciso sofrer, é preciso aguentar.
Sofrer é respeitar o tamanho que teve o amor.
E quando alguém está sempre presente?
Quando é tarde?
Quando já não se aguenta mais? Quando já é tarde para voltar atrás?
Percebe-se que há esquecimentos tão caros que nunca se podem pagar.
Como é que se pode esquecer o que só se consegue lembrar?
Aí está o sofrimento maior de todos!!!
Carlinha, não há hipotese... uma saudade cuida-se...
Beijinhos.

menina disse...

Como se esquece?...
não se esquece! Simplesmente se tenta arrumar da melhor forma possível a memória deixando por cima o que pretendemos não esquecer e empurrando casa vez mais para os cantos o que queremos esquecer... e não pensamos muito nisso. O problema é quando se baralha tudo.
bjss

Visible Silence disse...

Querida Carlinha,
A saudade não se esquece...
A saudade é o fardo pesado que carregamos no peito. É querer, initilmente, o resgate do passado... é querer viver de novo o que se experimentou de melhor.
É a lágrima que se não chora... porque doi tanto que não se expressa... apenas se sente.
Quando amámos temos necessidade de ficar juntinho, coladinho, ao nosso amor, caso contrário... saudade.
Quando um relacionamento chega ao fim... a saudade povoa nossos sonhos tornando a vida tão vazia...
É uma saudade que oprime o coração e dá-nos a impressão de que este sentimento será eterno.
Mas a saudade também pode ser uma forte aliada contra o esquecimento... e de alguma forma nos fazer sentir mais próximos dos que para sempre partiram...
A saudade não se esquece...
No entanto, por mais belo que seja aquilo que já vivemos e que guardamos connosco... não podemos viver apenas de saudade...
Se não vivermos agora... não construirmos lembranças das quais possamos ter saudades amanhã... a nossa vida limitar-se-á a um fragmento que mora no passado...
A saudade não se esquece... aceita-se... e segue-se vivendo procurando a felicidade.
Beijinhos

Porquê? disse...

Carlinha,
que saudade eu tinha deste texto! Já não o relia há muito tempo, mas apesar disso continuo encantada por ele! Fez-me recordar uma fase menos boa da minha vida, mas que fui superando, esquecendo devagar.....
É verdade, é difícil esquecer alguém que não nos sai do coração.....
Bjs