terça-feira, outubro 11, 2005

Um pedaço desse bolo que é a Vida

Pensei em imensas coisas para te oferecer hoje…
Um livro sobre uma viagem de mochila ao Tibete para te fazer sonhar, mas depois não lhe podia escrever a dedicatória… naaa
Um CD do Roger Waters, daqueles que se ouvem no escuro e nunca sozinho… mas depois esquecias-te dele e não o ouvíamos… naaa
Um ramo de flores silvestres, coloridas, mas sou demasiado esquisita na escolha de flores além de não apreciar muito… naaa
Um chocolate enorme e delicioso, mas depois acabava por comê-lo eu e fazia-me montes de bolhas… naaa
O meu nariz arrebitado e a minha rebeldia, mas depois faltar-me-iam para te fazer dar gargalhadas e perder o juízo… naaa
Uma dança do ventre à luz das velas, mas hoje não dá e amanhã já não é um presente de aniversário… naaa
Um beijo molhado e morno como a chuva que cai lá fora e um abraço apertado com vontade de não largar, mas isso dou sempre… naaa
O meu amor intenso e arrebatador, mas continuo a achar que o amor é tudo e nada e vai e vem e jamais se oferece nos anos às pessoas de quem gostamos… naaa

… Foi então que descobri este Arco-íris!

Parece que tem um fim, mas eu acho que não tem… por mais que caminhes na direcção da sua ponta, nunca vais lá chegar.
Mas que importa lá chegar? Que importa o fim do Arco-íris quando tens um imenso caminho para percorrer? Quando tens objectivos que te mantém com vontade de lutar, que te fazem recuperar a energia a cada passo e saborear cada obstáculo transposto?

É este Arco-íris, sem dúvida!

Desembrulha-o com todo o carinho, sente-o como se nada mais existisse, sorri-lhe com esse sorriso maravilhoso e sê muito feliz HOJE…

4 comentários:

Tazaroteno disse...

Bem , essa é a minha imagem favorita de uma tarde de Domingo... um belo dia de chuva, frio e bem acompanhado não existe melhor domingo que um assim para mim e no final da tarde pode vir o arco iris.

Å®t_Øf_£övë disse...

Gilda,
Realmente quando se quer oferecer alguma coisa a alguém em especial, o importante não é o objecto em si, mas o acto de oferecer por si só.
Por isso a mim parece-me que não podias ter feito melhor escolha, do que ofereceres um arco-irís com tudo de sonho e infinito que ele representa.
Feliz da pessoa que recebe tão simbolico presente.
Eu por mim não me importaria de o receber, mas como segunda opção também não me importava nada de receber uma dança do ventre à luz das velas (gostei da ideia!!!), e não me importava nada com o dia em que isso acontecesse.
:-)
Beijinhos.

Dulcineia disse...

A vossa sugestão é aceitável.De repente descobri que o arco íris é afinal o longo caminho que ainda vou ter percorrer até conquistar a paixão do momento.Depois...Como nunca sei o que lhe oferecer,vou propôr-lhe um passeio debaixo de uma chuva miúdinha...Aquela que nos inspira,dá coragem e retempera a alma...e o resto.

Visible Silence disse...

Gilda,
Perfeita a tua escolha...
O arco-irís... sempre foi sinónimo de esperança, alegria, sonhos a alcançar... de bonança após a tempestade...
Lembram-se da histórinha do pote no final do arco-irís...???
Mas o Art tem razão, o importante é as pessoas que amamos saberem que estás a seu lado e nelas pensamos... são os presentes diários...
De certeza... que o teu sorriso bastaria...
Beijinhos