segunda-feira, outubro 15, 2007

Like a dream

Não era para ser, mas foi...

Não era para sentir, mas sentiu...

Não era para acontecer, mas aconteceu...

Angústia? Alguma... Receio? Muito... Felicidade? Sempre...

Retroceder? Impossível...

Avançar? Talvez...

Insegurança? Um pouco...


A noite brilhava por entre o escuro. As memórias que não identificava misturavam-se nas recordações sobrantes. Ora se encolhia de medo, ora sorria deliciada. Virava-se, revirava-se, revoltava-se... contorcia-se... alucinada...

Olhou-o. Sem encontrar o seu corpo, viu-o, sentiu-o, ouviu-o, sorriu... sem ansia, sem medos, sem certezas nem interrogações, tranquilizou-se a si mesma num sono prolongado como um beijo demorado. O dele.

6 comentários:

Tazaroteno disse...

Olá
Nunca um texto correspondeu tanto á minha situação actual como este, isto que aqui li encaixa no que me aconteceu, incrivel

Taz

foryou disse...

:) se calhar é porque ambos somos gémeos! lol

Mas olha, se esta é a tua situação actual e ainda assim te sentires tão tranquilo e feliz quanto eu, então... continua! :)

Beijo

Å®t Øf £övë disse...

foryou,
Não sei se te referes a um sonho, ou apenas a um despertar para a realidade. Mas talvez muitas vezes não haja assim uma diferença tão grande entre o sonho e a realidade, porque quando sonhamos tudo é fácil, por isso não nos temos que preocupar com a distância entre os sonhos e a realidade. A realidade é que normalmente é mais dura do que o sonho. O ideal seria conseguirmos conciliar o sonho com a realidade, e consegui-lo pôr em prática, porque se o conseguimos sonhar, é porque podemos realizá-lo.
Será isto apenas um sonho... uma missão impossível?
Beijinhos.

Tazaroteno disse...

Estou mesmo a sentir isto que escreves, estou tranquilo como o Art Diz a missão é impossivel, tenho uma barreira fisica demasiado grande para poder viver melhor este momento, 9000 kms é uma barreira enorme,

Taz

Litinha disse...

foryou,
Sonho ou realidade, o mais importante é não questionar muito e viver o mais possível todas as emoções do momento...

Não sei porquê, mas ao ler-te veio-me à memória
Vinicius de Moraes

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

... :)

Beijinhos.

foryou disse...

Nem sempre sonho é melhor que realidade... há sonhos que são autênticos pesadelos Å®t...

Mas este é sem dúvida um sonho muito querido que transforma a realidade em tranquilidade :)

Tazaroteno, 9000kms sempre é mais perto que uma vida ou a falta dela... portanto não há barreira intransponível :)

Litinha, Vinicius é sempre Vinicius :) Obrigada :)

Um beijo para cada um de vós