sexta-feira, outubro 12, 2007

Consumo

Recebi a conta da EDP. Digo já, não sou daqueles que telefona a dizer a quanto vai o contador da minha casa, e sou sincero, prefiro nem saber.
E acho que deve ser assim, não quero saber o quanto gasto de energia.
Se eu, um dia, tivesse um contador no meu corpo, podia controlar perfeitamente os meus consumos, provavelmente até entrar numa de poupança... mas não, não quero, não faço leituras, não as dou a ninguém, não sei o quanto estou a gastar, nem quanto vou pagar no final.
Nas emoções sou mesmo um gastador, e sabem porquê? Vivo um dia de cada vez, e acreditem que vivo mesmo.

"Ninguém é tão velho que não possa viver mais um ano,
Nem ninguém é tão novo que não possa morrer já"

4 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Pp,
Gostei desta tua reflexão de estreia aqui no "Pedaços". Espero e desejo que esta seja a primeira de muitas que por cá possas fazer, porque pessoas como tu fazem-nos cá falta. Quero que te sintas bem por aqui, nesta que é a partir de agora também a tua "casa".
Em relação ao teu texto, tenho que te dizer que concordo inteiramente contigo, embora nem sempre seja possível deixarmos de controlar os nossos "consumos". Muitas vezes é bom não sabermos o quanto estamos a "gastar", nem sabermos o que vamos "pagar" no final, mas a verdade é que somos o espelho daquilo que construímos, e da forma como construímos a nossa vida, e muitas vezes temos esses "contadores" tatuados no corpo como se de um chip se tratasse, e não é fácil, se é que muitas vezes não é mesmo impossível, libertarmo-nos deles.
Todos nós passamos em alguma altura na vida, pela vontade de a viver intensamente... é o "Carpe Diem"...
Queremos amar incansavelmente, lutar pelos nossos sonhos... mesmo os impossíveis.
Traçamos objectivos, metas... gostaríamos de ter cada dia mais emoções, que nos ajudassem a fugir da monotonia, que nos surpreendessem, que nos fizessem rir da vida.
O problema, é que normalmente planeamos de mais, e realizamos de menos, o presente... o hoje... o agora... porque temos medo de errar.
O ideal era conseguirmos acabar com os "pontos-e-vírgulas", e abusarmos das "reticências" nas nossas vidas, porque isso poderia ser a resposta para tudo... porque isso talvez significasse... Viver... Viver intensamente...
Abraço.

Ana disse...

PP,

Em primeiro lugar, benvindo á nossa família!

Quanto ao consumo... bem, eu confesso que sou uma "gastadora" compulsiva. Gastadora de energias, de emoções, de sonhos, de desejos...! Gasto, gasto, gasto!
Sei que, provavelmente, quem controla os seus consumos, sofre muito menos desilusões e sustos com o valor a pagar na factura. Há também quem seja da opinião que deveríamos poupar agora para gastar no futuro. Mas... que futuro? O meu futuro é daqui a 1 hora, 1 minuto, 1 segundo...e não tenho tempo para poupanças!

Adorei este texto!

Bjs

foryou disse...

:) Gostei! Muito!
É bom saber que afinal, não somos uma excepção, nem tão pouco ET's esquisitos e que há mais gente que, como nós, também vive um dia de cada vez e... vive!!!

Gasta sim, gasta bastante em emoções. Vale a pena gastarmos enquanto vivos, não é?! É que até prova em contrário... esta é capaz de ser mesmo a única vida que temos, logo, há que aproveitá-la!

Litinha disse...

Pp,
O nascimento é já e só por si motivo para júbilo... assim como, também, reiteração de esperança... Quero com isto dizer que depositamos em ti, igualmente, a esperança, no futuro do Pedaços... Bem-vindo sejas!
Quanto à tua primeira partilha, deixa-me dizer-te que a acho, no mínimo, original!
De facto, também eu, com o passar dos anos e em resultado da análise da minha vivência, da dos que me são próximos e da dos que nada me são, cada vez mais me convenço de que devemos viver um dia de cada vez, o melhor possível... não deixar aquilo que queremos por fazer, nem aquilo que achamos por dizer!...
Nada nem ninguém nos garante que amanhã vamos cá estar ou estando, se estaremos em condições físicas e emocionais para concretizar projectos, sonhos, ..., que vamos repetidamente adiando.
Portanto, o mais sensato é viver o dia de hoje "como se do último se tratasse" e desejar que amanhã ainda nos seja possível realizar o que não houve tempo para concretizar hoje...
Beijinhos.