segunda-feira, dezembro 31, 2007

Novo 2008

Todos sabemos que a passagem de 31 de Dezembro para 1 de Janeiro mais não é que uma data de calendário que surge como forma de organização social. Contudo, se extrapolarmos para a vida, esta passagem não deixa de ter uma simbologia marcante.

Foram dias, semanas, meses da nossa existência que se passaram, experiências boas, más, conhecimentos que adquirimos, amizades que foram feitas, separações igualmente, enfim, uma panóplia de vicissitudes que só acontecem a quem está vivo e interage.

O que de bom aconteceu, tendemos a guardar dentro de nós pintado dos mais variados tons de azul, rosa, amarelo e até branco. O restante pensamos esquecer... no mais escuro de nós mesmos! Assim, à entrada de um novo ano as expectativas renovam-se. É tempo de olhar o horizonte e desejar que algo de dourado surja envolto em todas as colorações claras e ténues. Poderá ser, poderá não ser... mas, a esperança é aquilo a que nos agarramos a bem de nós próprios.

Assim, desejo a todos os pedaçinhos que me acompanham neste canto de partilha, um 2008 envolto em cores brilhantes. Ou seja, que este novo ano vos traga muito daquilo que cada um de vós ambiciona!

Mirando el horizonte, óleo sobre tela, Leonor Maass

4 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Poderemos nós com a entrada de um novo ano aspirar a uma vida nova?
Eu penso que não, mas na verdade criamos expectativas, esperanças, e sonhos, com a chegada de um novo ano. Planeamos mudanças, imaginamo-nos a viver situações novas e diferentes, sonhamos com tudo aquilo que ainda não conseguimos realizar, mas no entanto quando chegamos ao final de cada ano, apercebemo-nos que quase nada do que sonhamos no início do ano se concretizou, e acabamos por nos sentir frustrados.
No início de cada ano ficamos sempre na expectativa de mudanças, e parece que não percebemos que para termos uma vida nova, não precisamos da chegada de mais um ano, porque as mudanças podem e devem acontecer a qualquer momento, porque não é um novo ano que faz as mudanças acontecerem, mas sim o nosso interior, a nossa forma de pensar, a nossa determinação, e força de vontade. É no nosso interior que podemos transformar as nossas vidas, e entender que não é a vida que é cheia de mudanças, mas sim nós mesmos.

Desejo-vos a todos um ano com muitas mudanças de encontro aos vossos desejos e anseios, para que não sintam apenas a chegada de um novo ano, mas sim de uma vida nova.
Encham-se de coragem para enfrentar a vida, vençam os vossos medos, angústias, e ansiedades, para que consigam fazer de cada dia uma nova conquista... uma nova vitória.
Façam o que for necessário, mas sejam felizes.
Feliz 2008 para todos vocês que partilham este espaço comigo durante os 365 dias de cada ano.
Beijinhos e abraços.

Ana disse...

Alexandra,

Que o teu 2008 possa ser pintado dos mais alegres, suaves, reconfortantes e bonitos tons que a vida tem!

Bom Ano para ti!

Beijinho

Litinha disse...

Alexandra, e a todos os membros desta família, desejo que 2008 seja essa paleta de cores de que falas, que elas se misturem e que a luz da esperança a ilumine tal como na lindíssima e sugestiva tela com que nos presenteias neste principiar de novo ano. Que o momento de transição não seja nada mais nada menos que meramente o vencer de mais uma pequena etapa nas nossas vidas e que o novo ano seja a continuidade daquilo que somos enquanto seres humanos.
Que 2008 nos brinde na medida dos nossos sonhos, do nosso trabalho, dos nossos desejos.
Beijinhos a todos.

foryou disse...

O restantes pensamos esquecer?? É que nem pensar!! Eu cá não quero esquecer mais nada, tenha lá a cor que tiver.
Esperança?? Ahhhh nessa alinho! :)
Um bom ano para ti também Alexandra