domingo, dezembro 30, 2007

Quando um se vai, um outro vem

Sentiu-se triunfante ao chegar. Eufórico, louco, barulhento. Por entre as luzes da ribalta caminhou glorioso até ao pódio.

Jovem ainda, cheio de sonhos, esperanças, projectos.


Ao longo da sua existência chorou, resmungou, blasfemou. Escalou montanhas nunca antes pisadas. Colheu frutos nunca antes saboreados. Percorreu caminhos nunca antes trilhados. Proferiu palavras nunca antes murmuradas. Amou enquanto viveu. E que vida!! Amou no corpo de mulher, nos braços de homem, nos beijos sensuais de cada ser. À luz do dia, na penumbra da noite, na brincadeira de crianças, na solidão de anciãos, nas hormonas de adolescentes, no riso, na dor, na paz e na guerra.

Agora, ali estava, parado, silencioso, meditativo. Percorrendo a memória da sua vida fugaz. Fazendo balanços do seu breve percurso.

Cansado. Extenuado.

Moribundo.

E nem lamentava o seu fim. Bastava-lhe saber que vivera.


Outro o substituiria. Nasceria, como ele, escondendo a insegurança, o tremor, o medo, a dúvida, mas igualmente triunfante, eufórico, louco e barulhento. Disposto a conquistar homens e mulheres. A amá-los em cada gesto, em cada beijo, em cada som, em cada odor. Ciente que, como ele, seria amado e odiado e um dia, como ele, também pereceria velho e cansado, para dar lugar a outro.


Olhou-se uma vez mais no espelho, na ansiedade de se vislumbrar. Mas a sua imagem enevoada, esvaia-se sob a luminosidade intensa daqueles círculos unidos formando um só, como homem e mulher quando se amam e já só teve tempo de sussurrar “oito…” Sucumbiu por entre a última badalada, as luzes, o fogo, o som da rolha a separar-se do gargalo, os abraços, a música, as gargalhadas e as boas-vindas a uma vida que já não é sua. No espelho já não se lia sete mas um poderoso, imponente, majestoso recém-nascido oito… “Boa sorte 2008”



DESEJO-VOS UM EXCELENTE 2008


4 comentários:

Ana disse...

Foryou,

Fecha-se um ciclo, abre-se outro.
É sempre assim... como se as doze badaladas tivessem o poder de "apagar" o que fica para trás e fazer nascer novas possibilidades. Por mais que todos saibamos que se trata apenas de uma mudança no calendário, não conseguimos evitar atribuir a esta data o carácter especial da MUDANÇA, da ESPERANÇA, da RENOVAÇÃO.

Para ti, e para toda a família do PEDAÇOS DE NÓS, deixo aqui os meus votos de um FELIZ ANO NOVO.

Alx disse...

Uma boa e linda forma de personificar um ano! :)

Muito obrigado pela minha parte Foryou e, desejo-te também um óptimo 2008!

Beijinho

Alexandra

Å®t Øf £övë disse...

Foryou,
Como sempre a tua criatividade está bem presente neste texto através da personificação do que pensaria um ano ao fazer o seu próprio balanço nos seus momentos finais de existência.
Ainda bem que existe esse marco que é o final de cada ano, e o início de um novo ano, porque se não fosse isso, os dias iriam passando desmedidamente, e nós não notaríamos qualquer diferença.
Mas eis que de repente chega o final do ano, e todos nós nos perguntamos: "mas já passou mais um ano!?". E aí chega a hora de fazer um balanço, para podermos progredir, para que no final do próximo ano seja possível estarmos em melhores condições económicas, sociais, pessoais, mentais, espirituais, físicas, etc...
Muitas vezes tudo isto não passa de uma ilusão de cada um de nós, de esperanças infundadas em dias melhores, quase perfeitos... pura utopia.
Mas afinal esta não deixa de ser uma época de esperança, por isso antes do ano sucumbir por entre a última badalada, que nos fique a esperança... a esperança em dias melhores... quase perfeitos.
Um óptimo ano para ti, é o que te desejo sincera e profundamente.
Beijinhos.

Litinha disse...

E assim é Foryou todos os anos, invariavelmente!...
É “o mundo em marcha”!...

Beijinhos e que tenhas um afortunado 2008!