terça-feira, junho 02, 2009

Já me tinha esquecido...


Já me tinha esquecido de como era...
Esta calmaria, esta bonança, este sossego
O acordar sem o peso de uma luta a travar
O dia que corre simples e leve
A sensação de que tudo está no devido lugar
Já me tinha esquecido deste silêncio...
Desta ausência de barulho mental
Do querer saber, entender, questionar
Ausência de ideias e palavras que se chocam
Silêncio que me deixa descansar
Já me tinha esquecido do sabor...
De disfrutar do tempo sem pressa
Ou de não querer faze-lo parar
Da certeza de tudo o que sou e quero
Da liberdade de nada esperar
Já me tinha esquecido desta voz...
Que apenas fala de dias de sol
Que nada nega, cala ou consente
E que vai cantando sorrisos á toa
Num mundo que encontra novamente
Já me tinha esquecido de como era...
... esta sensação de estar em paz.

4 comentários:

Raquel disse...

Ana,
acho que todos nós passamos a vida com tanta pressa que já nos esqueçemos de como era viver sem ela...
Sinceramente adorei o que escreveste!
Beijinho*

Pedro Arunca disse...

Ainda bem que te encontraste e partilhaste esse "encontro".
Bj

Å®t Øf £övë disse...

Ana,
É uma boa sensação essa, não é?
Também me sinto bem quando estou com essa sensação de paz, e tu conseguiste transmiti-la de tal maneira através das tuas palavras que ela chegou até aqui, e olha que depois de um dia agitado, agora já me sinto bem melhor.
Para mim a paz começa quando deixo de precisar de a procurar, por isso não deixes que essa sensação se vá embora, nem mesmo naqueles momentos em que o desespero te bata à porta... não troques essa paz por nada... muito menos pela satisfação de uma vaidade, nem por uma simples discussão. Não troques essa paz por um pensamento de derrota ou fracasso, porque a paz é o maior de todos os sucessos que podemos ter.
Beijinhos.

foryou disse...

e eu só desejo que assim te mantenhas por muito e longo tempo :)
beijoooo